Como fazer uma classificação dos itens hospitalares mais eficientes?

Data: 16 de Outubro de 2019 às 08:00

Uma boa logística de materiais impede prejuízo financeiro e contribui para que o paciente tenha o melhor atendimento. Sendo assim, contar com uma boa logística é um dos principais requisitos para o sucesso da gestão de um hospital.

Para tanto, é necessário saber como fazer a classificação dos itens hospitalares de forma eficiente.

As boas práticas impedem prejuízos financeiros e acabam contribuindo para que o paciente conte com o melhor atendimento. 

Antes de partirmos para a prática, entretanto, é importante relembrarmos que os artigos hospitalares geralmente dividem-se em três principais categorias. 

•    Os artigos críticos são constituídos pelos itens que apresentam alto risco de infecção e, por isso, necessitam passar por processo de esterilização. Geralmente, entram em contato com tecidos estéreis ou com o sistema vascular.

•    Os artigos semicríticos, por sua vez, estão em contato com a pele não intacta (não exposta) ou com mucosas íntegras. Também precisam ser esterilizados ou altamente desinfectados.

•    Já os artigos não críticos demandam apenas uma limpeza ou desinfecção de nível inferior. Esses itens são usados, de modo geral, para o contato com a pele íntegra, isto é, a área exposta do corpo. 

Agora que temos em mente a divisão dos itens hospitalares é importante saber de que forma esses materiais devem ser organizados e gerenciados em sua unidade. Para isso, elencamos algumas dicas preciosas.


Otimize o controle de estoque hospitalar

O controle de estoque é essencial quando o assunto é classificação dos itens hospitalares. Para tanto, é necessário seguir práticas que visam impedir o descontrole no momento de armazenar material.

Primeiramente, é necessário analisar e padronizar as rotinas de abastecimento dentro da instituição, sabendo de onde vêm e para onde vão os materiais estocados.

Com esse controle, é possível estabelecer padrões de consumo, que farão a unidade não perder dinheiro comprando material excedente e, ao mesmo tempo, não ser surpreendida caso o consumo aumente de forma súbita, por exemplo.

Para realizar esse trabalho com maestria, possuir um software de gestão de estoque é, hoje, item primordial, independentemente do tamanho da empresa. Só assim é possível quantificar o consumo dos itens, impedindo desvios, desorganização e perdas por expiração de validade.


Assegure o funcionamento dos equipamentos hospitalares

Uma boa gestão hospitalar necessita impreterivelmente da garantia do pleno funcionamento dos seus equipamentos. Eles são essenciais e não podem causar prejuízo financeiro à unidade. 

Contar com serviço de engenharia clínica nesses casos é importantíssimo para determinar as necessidades clínicas do hospital, indicando e resolvendo problemas no funcionamento dos equipamentos. 

Investir na área de tecnologia, entretanto, não será suficiente se os insumos ou equipamentos adquiridos pelo hospital forem de origem duvidosa. Este é justamente o assunto do tópico a seguir. 


Garanta eficiência no fornecimento de itens hospitalares

Agora que você já sabe o que precisa para estabelecer padrões de eficiência na classificação de itens hospitalares, vale lembrar que nada disso é possível se você não contar com a eficiência nos processos de aquisição desses materiais. 

É muito importante que o fornecedor da sua empresa seja qualificado e conheça de perto as suas necessidades e seus processos internos. Para além disso, a qualidade desses materiais também é obviamente um fator determinante. 

Pensando nisso, a Nachmed Equipamentos e Materiais Médicos comercializa equipamentos e materiais médicos com alta qualidade, executando sempre um atendimento humano, personalizado e adequado para cada necessidade profissional.

Navegue pelo nosso site, conheça os nossos produtos e garanta o melhor investimento em equipamentos e materiais médicos!

Me chame no WhatsApp Agora!